Categorias
Dicas de carreira

Negociação para advogados: 5 técnicas de PNL para negociar melhor

Como veremos ao longo deste artigo, a PNL ou Programação Neurolinguística é uma importante metodologia que agrega ao mundo dos negócios o desenvolvimento de habilidades interpessoais e, inserida no contexto jurídico, contribui com técnicas de negociação para advogados. 

Segundo a Sociedade Brasileira de Programação Neurolinguística (SBPNL), PNL consiste na “metodologia que foca no alcance da excelência, ou seja, auxilia uma pessoa a atingir os resultados que deseja em sua vida, criando modelos a partir de atitudes de sucesso”.

Sobre a PNL, a SBPNL afirma ainda que “está completamente relacionada com resultados no âmbito pessoal quanto profissional”

Visando demonstrar os benefícios da PNL para advogados, este conteúdo terá como enfoque a utilização de técnicas no contexto de escritórios e departamentos jurídicos, principalmente no que se refere à negociação e comunicação com clientes, podendo ser usada também com demais pessoas que façam parte da sua rotina. 

Leia também: 

Liderança na advocacia: como ser um bom líder e motivar sua equipe

Negociação para advogados: 4 técnicas da PNL para negociar melhor

1) Rapport

Ao nos aproximarmos das pessoas com quem estamos nos comunicando, seja através de uma linguagem corporal parecida, tom de voz ou uso de expressões semelhantes, contribuímos para que o outro se sinta mais à vontade e propício a estabelecer uma relação de confiança.   

Sabemos que um grande diferencial nos dias de hoje é a experiência do cliente, sendo algo que pode aproximar ou afastar aquele que é essencial para o sucesso do seu negócio. 

Como diz o ditado, a primeira impressão é a que fica, por isso a importância de desde o primeiro momento demonstrar, através do rapport, que você está prestando atenção nos problemas que estão sendo compartilhados pelo seu cliente e ouvindo-o com empatia. 

Dessa forma, você contribui para que ele perceba sua disposição em encontrar as melhores soluções para os seus problemas.  

Para saber mais sobre como usar o rapport na advocacia, assista:

2) Ancoragem

A ancoragem é outra importante técnica de PNL que consiste em criar uma referência primária para ser tomada como base pelo seu cliente ou prospect, de modo que torne o cenário mais propício para chegar ao resultado que você está buscando. 

Essa técnica funciona porque temos a tendência de nos fixarmos na primeira informação recebida, ou seja, a primeira referência tem o poder de tornar a segunda mais atraente ou estabelecer um parâmetro seguro para futura negociação. 

Na prática, você poderá designar primeiro o prazo para realização de determinado serviço jurídico ou o valor a ser pago a título de honorários advocatícios. 

Por exemplo, se você diz inicialmente que o valor de um serviço é X reais e depois informa ao seu cliente que fará um desconto, caso ele feche o contrato até determinado dia (gatilho mental da escassez), essa primeira ancoragem de preço será útil para tornar mais evidente a vantagem de aproveitar esse desconto

Outro exemplo é quando você informa que realizará determinada entrega em 10 dias e quando seu cliente solicita prazo menor, você reduz para 7 dias. 

Com a primeira ancoragem, o segundo prazo se torna bem mais atraente e vantajoso do que se você apenas o oferecesse a ele inicialmente e não aceitasse flexibilizar sua proposta. 

A ancoragem também pode ser utilizada para destacar o benefício de fechar um contrato por prazo superior através da comparação entre os preços dos modelos de contratação, o que evidencia o custo-benefício de ter o serviço contratado por mais tempo. 

Assim, o seu cliente é beneficiado com um preço mais interessante e o seu escritório passa a contar com uma receita recorrente, contribuindo para aumentar seu faturamento e garantir maior previsibilidade de caixa

3) Concentre-se nos interesses e não nas posições

Outra dica de PNL para advogados colocarem em prática é o foco no interesse que está por trás de cada posição.  

São os interesses que levam as pessoas a adotarem determinada posição ou posicionamento e não o contrário. 

Negociação para advogados

Imagem obtida no Curso Negociação e Influência da Escola Conquer

Enquanto a posição se traduz no que o outro diz que quer, buscar o interesse é compreender por que eles querem aquilo

Assim, para uma negociação de sucesso é preciso entender quais são os interesses dos envolvidos, de modo que mesmo quando são adotadas posições opostas, você consiga entender os reais interesses para chegar a um acordo que seja mais interessante para ambos os lados. 

Para mais dicas sobre negociação, assista à palestra abaixo ministrada por William Ury, autor do livro “Como chegar ao sim: como negociar acordos sem fazer concessões”: 

4) Faça perguntas abertas

Como vimos no tópico anterior, é preciso descobrir o interesse e a motivação por trás de uma posição. Sendo assim, fazer perguntas abertas e que não limitem a fala do seu cliente contribui para que você consiga mapear interesses e entender sua real opinião. 

Através de perguntas abertas você tem a oportunidade de conhecer melhor o seu cliente e estabelecer com ele uma conexão, entendendo o que é importante para ele, o que vai orientá-lo(a) a priorizar aquilo que é do seu interesse ou mesmo auxiliá-lo(a) no momento de contra argumentar para mostrar a sua visão de especialista. 

5) Técnica ganha-ganha 

Como o nome dá a entender, a técnica do ganha-ganha tem como objetivo assegurar vantagens a todos os envolvidos na negociação, sendo importante para a construção de uma relação de confiança e para a fidelização daquele que já é ou pode vir a se tornar seu cliente.  

Vale dizer que há hoje no mercado ferramentas que auxiliam os advogados a atuarem com maior previsibilidade, o que facilita, por exemplo, durante o momento de negociação de um acordo. 

Esse é o caso da Jurimetria, tecnologia que, através da análise estatística aplicada ao Direito, possibilita que o profissional consiga demonstrar ao seu cliente ou à parte contrária as chances de êxito em um processo e agrega como uma argumentação objetiva e baseada em dados durante o processo de negociação

Deseja saber mais sobre a Jurimetria? Baixe aqui o e-book para aprofundar no tema!

e-book jurimetria e direito

————————–

A missão da Turivius é transformar a inovação e tecnologia em valor agregado aos seu serviços jurídicos, contribuindo para a alta performance em escritórios de advocacia e departamentos tributários de empresas de grande porte. 

Peça uma demonstração!

Categorias
Marketing jurídico

Newsletter jurídica: checklist com 5 boas práticas para elaborar a sua

Você sabe como elaborar uma newsletter jurídica ou a diferença entre esse formato e o e-mail marketing? 

Em uma breve explicação, a newsletter jurídica corresponde a um e-mail de caráter informativo divulgado para clientes ou potenciais clientes e que tem por objetivo compartilhar conteúdos produzidos nas mais diversas plataformas utilizadas pelo seu escritório de advocacia. 

Dentre exemplos de conteúdos a serem encaminhados via newsletter podemos citar: mensagens comemorativas, avisos relacionados ao funcionamento do escritório no recesso do judiciário, convite para webinars, textos publicados no blog e redes sociais, vídeos, notícias, dentre outros.

Por sua vez, um e-mail marketing reflete em um conteúdo mais promocional, dentro de uma estratégia focada em conversão (levantada de mão ou fechamento de negócio), contribuindo para o que seu cliente fique interessado em dar mais um passo rumo à contratação dos seus serviços. 

Para saber mais sobre boas práticas na elaboração de uma newsletter jurídica leia este artigo até o final!

Leia também:

E-mail marketing para advogados: utilizando esse recurso para prospecção de clientes

Boas práticas para criar uma newsletter jurídica

1) Cuidado com os excessos de ícones e imagens: menos é mais!

Quando pensamos em uma newsletter jurídica, exagerar no uso de imagens, ícones, botões e cores é sim um problema. 

O excesso de chamadas para ação podem confundir o seu cliente e provocar o efeito contrário: ele acaba saindo do e-mail sem clicar em nada ou, pior, realiza seu o descadastro.

Além disso, o uso de imagens acaba dificultando o carregamento da página, o que prejudica a experiência do seu cliente ou prospect. 

Uma observação importante: jamais encaminhe uma newsletter em que predomina o uso de imagens. O uso excessivo de imagens, como já dito, dificulta o carregamento, mas não apenas isso, uma vez que funciona como alerta e aumenta as chances do seu e-mail ser direcionado para o spam.

Ainda, sempre que utilizá-las, certifique-se de configurar o alt txt (texto alternativo), nomeando-a de acordo com o assunto que ela representa, pois assim você torna possível a sua leitura pelos sistemas responsáveis pela entrega do e-mail.

2) Nunca se esqueça do CTA

Algo que precisa fazer parte do checklist na produção de uma newsletter jurídica é o famoso CTA (Call To Action ou, traduzindo, chamada para a ação). 

Os principais objetivos da newsletter são engajar e nutrir um relacionamento com os seus clientes e prospects, sendo essa uma grande oportunidade de gerar tráfego para o site do seu escritório de advocacia, redes sociais, canal no YouTube, etc. 

Independentemente dos canais onde o seu negócio esteja presente hoje, as chamadas da ação para a sua newsletter devem estar conectadas com essa estratégia, de modo que ambos se retroalimentam e contribuem para o sucesso do seu marketing jurídico. 

Não desperdice cliques. O excesso de botões é prejudicial, mas a falta deles também. 

Aqui vão alguns exemplos de como trabalhar o CTA na sua newsletter jurídica: “Leia mais”, “Quero me manter informado!”, “Quero assistir agora”, “Quero me inscrever no webinar”. 

Para conhecer mais expressões do marketing digital, leia também:

Glossário de Marketing Digital para advogados: 11 conceitos para nunca mais esquecer

3) Frequência ideal 

A dúvida de muitos advogados quando pensamos em newsletter jurídica é se há uma frequência ideal para encaminhá-las. 

A verdade é que isso dependerá do conteúdo que você tem para compartilhar com a sua base de e-mail, já que, muito mais importante que a quantidade é a qualidade dessa newsletter. 

Uma dica de como ser relevante é produzindo e encaminhando conteúdos que sejam menos técnicos, estejam mais inseridos nos problemas do dia a dia do seu cliente e que demonstrem como a contratação de serviços jurídicos é um passo importante para solucioná-los. 

Se você encaminha uma newsletter mensal ou quinzenal que é interessante para o seu público e, consequentemente, gera engajamento com ele, cresce as chances de uma boa taxa de abertura e de cliques nesses e-mails. 

Nesse ponto, é essencial, portanto, o planejamento de conteúdo de acordo com o seu público, contribuindo para que a sua newsletter jurídica seja relevante e se torne algo pelo qual o seu cliente espera chegar na sua caixa de entrada. 

4) Uma boa segmentação de base faz toda diferença

Se o seu escritório de advocacia faz uso de plataformas de automação de marketing como, por exemplo, o RD Station, um ponto importante é investir em uma boa segmentação.

Segmentar representa, no Marketing Digital, uma forma de personalizar a experiência de clientes e potenciais clientes de acordo com o seu interesse e o seu perfil.

Quanto maior a base de e-mails, mais importante é contar com uma plataforma em que seja possível mapear interesses a partir de artigos acessados, páginas visitadas ou conteúdos baixados. 

Ainda assim, trabalhar bases menores manualmente também é uma opção para garantir que conteúdos sobre Direito Tributário não cheguem até uma pessoa física interessada em Direito de Família e acabe sendo ignorado por ela. 

Além disso, seus potenciais clientes costumam estar em etapas diferentes no que se refere ao fechamento de negócio, então, sempre que possível, ajustar a newsletter de acordo com temas que estejam alinhados com a etapa da jornada contribuirá para melhores taxas de clique e abertura.  

5) Dica bônus: assinatura!

E para concluirmos a lista de boas práticas de como elaborar uma estratégia de newsletter jurídica, um ponto essencial é que a assinatura deste e-mail seja no nome de advogados do seu escritório.

Assinar apenas como o seu escritório acaba por prejudicar a pessoalidade da relação que você deseja nutrir com seu cliente ou prospect. 

Sendo assim, defina com a sua equipe quem irá assinar o conteúdo, sendo possível também ser estabelecido um revezamento de acordo com o nicho de atuação do conteúdo divulgado ou com base em outros critérios que façam sentido para o seu negócio.

————-

A missão da Turivius é transformar a inovação e tecnologia em valor agregado aos seu serviços jurídicos, contribuindo para a alta performance em escritórios de advocacia e departamentos tributários de empresas de grande porte. 

Faça um teste gratuito da nossa plataforma!

Categorias
Dicas de carreira

Produtividade na advocacia: 4 dicas estratégicas (e urgentes) para 2022

Você se descreveria como um profissional que vive apagando incêndios ou o planejamento estratégico está bem inserido na sua rotina e você se sente confiante quando o assunto é produtividade na advocacia

Independentemente de qual for a sua resposta, a produtividade na advocacia, assim como em outras áreas, deve ser encarada como uma crescente, algo que sempre pode ser otimizado para se tornar mais eficiente e estratégico.

Leia este conteúdo até o final e descubra algumas dicas para colocar em prática no seu escritório ou departamento jurídico em 2022!

Leia também:

Inovação para advogados: tendências para ficar de olho em 2022

Negociação para advogados: 5 técnicas de PNL para negociar melhor

Produtividade na advocacia: 4 dicas urgentes para colocar em prática em 2022

1) Tenha uma “caixa de entrada” para tudo que chegar

Você já ouviu falar no método GTD? 

A sigla GTD, do inglês “Getting Things Done”, corresponde à metodologia desenvolvida por David Allen, no seu livro “A arte de fazer acontecer”, possuindo como objetivo principal o ganho de eficiência e produtividade na realização de tarefas. 

Segundo esse método, o primeiro passo é: capturar

Sendo assim, imagine a sua “caixa de entrada” como um local para capturar e inserir todas as suas obrigações. 

Responder um e-mail, atualizar um cliente sobre um andamento processual ou escrever um artigo relevante para seus clientes são alguns exemplos de tarefas que devem constar na sua caixa de entrada. 

Ao passar os seus afazeres da sua mente para o papel (que pode, é claro, ser físico ou digital, o que for mais confortável para você), não apenas é eliminada a chance de algo ser esquecido, como também é reduzido o risco de você perder o foco durante o trabalho

É importante visualizar tudo o que você precisa fazer, desde aquelas tarefas que vão lhe custar mais de dois minutos até aquelas que demandam horas do seu dia. Observação: o que for custar menos de dois minutos, não deixe para depois. Faça logo!

O segundo passo é processar essas tarefas e determinar o que deve ser feito com cada uma delas.

Após eliminar tarefas que não sejam pertinentes, você deverá criar uma nova lista com aquelas tarefas que devem: 1) ser delegadas para o profissional responsável por executá-las, 2) ser transformadas em um projeto, por serem maiores e mais complexas ou 3) ser agendadas com o dia e hora para a sua realização. 

Neste último caso, quando falamos de agendamento, devem ser consideradas atividades com prazo já estabelecido, como a realização de audiências e respostas a andamentos processuais. 

Lembre-se que é essencial revisar periodicamente sua lista de tarefas, com uma frequência diária ou semanal, de modo que as prioridades devem sempre estar claras para você e demais envolvidos.  

Vale dizer, ainda, que esse método se aplica tanto ao contexto profissional, quanto pessoal. Neste artigo, contudo, trouxemos apenas exemplos que estejam relacionados ao contexto da produtividade na advocacia. 

Essa foi apenas uma breve explicação sobre esse interessante método. Deseja conhecer mais sobre o método GTD? Assista o vídeo abaixo!

2) Conte com a tecnologia

O escritório ou departamento jurídico em que você trabalha faz uso de algum software jurídico? 

Contar com softwares que automatizam tarefas repetitivas e pouco estratégicas é essencial para que você tenha tempo em desenvolver processos e habilidades que não podem ser executadas por uma máquina. 

Em pesquisa realizada Deloitte foi revelado que mais de 100 mil funções jurídicas serão automatizadas até 2036

Para garantir destaque no mercado de trabalho, mais que nunca advogados precisam demonstrar que estão dispostos a contribuírem para a modernização dos ambientes em que atuam, devendo ser proativos no que se refere à adoção de tecnologias. 

Seja incentivando o investimento em softwares jurídicos por parte daqueles a quem cabe decidir, seja engajando com as novas ferramentas, a tecnologia deve ser encarada como mais um recurso à disposição da produtividade na advocacia e que acaba refletindo em maior certeza jurídica com a tomada de decisões baseadas em dados.

Ainda, no que se refere à prospecção e fidelização por escritórios de advocacia, a adoção de tecnologia reflete em maior satisfação da clientela.

Seus clientes enxergam valor ao receberem relatórios que mostram chances de êxito em seus processos e constatam que todas as providências estão sendo tomadas, uma combinação da expertise do profissional e inteligência de dados. 

Saiba como o uso de estatísticas podem contribuir para a sua rotina lendo o material abaixo:

e-book jurimetria e direito

3) Invista em Metodologias Ágeis

As metodologias ágeis possuem como objetivo a descentralização da tomada de decisão e desenvolvimento da autonomia da equipe, incentivando que todos atuem com maior liberdade, com a redução de relações de trabalho baseadas em subordinação e hierarquia.

A realização de reuniões diárias (conhecidas como daily) é um dos processos a ser considerado quando falamos em produtividade na advocacia. 

Definir prioridades para o dia e verificar como está o status das demandas são pontos essenciais para a identificação de gargalos daquilo que pode não estar fluindo e que talvez precise de maior envolvimento da equipe. 

Atuar de forma colaborativa é determinante para que o ambiente de trabalho incentive o desenvolvimento da equipe, tornando o crescimento do escritório um reflexo daqueles que o compõem. 

Para saber como colocar Metodologias Ágeis em prática, leia também:

Metodologia Ágil para advogados

4) Simplifique o que puder

Por fim, mas não menos importante: sempre que possível, simplifique

“Quebrar” tarefas maiores e mais complexas em atividades que podem ser realizadas com maior facilidade e rapidez também contribuem para otimização de tempo e para a sua produtividade na advocacia. 

Como dissemos, há diversas ferramentas que podem automatizar tarefas que, quando realizadas manualmente, acabariam tomando horas preciosas do seu dia. 

Enquanto você trabalha em outras demandas ou até mesmo está fora do trabalho, desfrutando do seu tempo livre, tecnologias como os robôs da Turivius podem continuar trabalhando para você e executando tarefas como o monitoramento jurisprudencial. 

Funciona assim: nossos robôs monitoram os tribunais que você seleciona como estratégicos e identificam as decisões publicadas que forem temas do seu interesse. Pela manhã, você receberá um e-mail com todas as decisões que sejam relevantes para você.  

É a versão do Google Alerts pensada para você, advogado(a) que precisa se manter atualizado sobre novas decisões que discutam temas que impactam nos processos dos seus clientes. 

Hoje não é mais necessário acessar sites de diversos tribunais ou assinar boletins para acompanhar os principais temas da sua área de atuação. Ganhar produtividade na advocacia significa simplificar e, muitas vezes, a tecnologia poderá fazer isso enquanto você descansa.

Ficou curioso(a) sobre como funciona o monitoramento jurisprudencial? Assista o vídeo abaixo!

—————

A missão da Turivius é transformar a inovação e tecnologia em valor agregado aos seu serviços jurídicos, contribuindo para a alta performance em escritórios de advocacia e departamentos tributários de empresas de grande porte. 

Conheça a Turivius!

Categorias
Marketing jurídico

Retenção de clientes na advocacia: estratégias para aplicar em 2022

Não tenho dúvidas que a prospecção de novos clientes seja tema frequente no seu escritório. Por sua vez, quando pensamos na retenção de clientes na advocacia, quais têm sido as estratégias aplicadas no dia a dia do seu negócio

Como você e sua equipe atuam para a nutrição de um relacionamento duradouro com aqueles que já contrataram seus serviços? Como é metrificada a satisfação do cliente no seu negócio?

Segundo pesquisa realizada pela Harvard Business School, o crescimento da taxa de retenção de clientes em 5% contribui para o aumento do lucro de 25% a 95%. Além disso, a prospecção de um novo cliente é 5 a 25 vezes mais cara que a nutrição de um cliente que você já possui. 

Sendo assim, no artigo de hoje você encontrará importantes dicas para a retenção de clientes na advocacia. Acompanhe este conteúdo até o final e não deixe de considerá-lo no seu planejamento estratégico para 2022. 

Leia também:

Customer success na advocacia: 5 dicas imperdíveis para fidelizar seus clientes

Negociação para advogados: 5 técnicas de PNL para negociar melhor

Como aumentar a retenção de clientes na advocacia

1) Invista em estratégias de Inbound Marketing

Você está familiarizado com o “Inbound Marketing”? 

Inbound Marketing consiste no Marketing de Atração, que tem como objetivo principal atrair, converter e encantar clientes. 

Diferente do Outbound Marketing, que são aquelas estratégias tradicionais de publicidade, que funcionam como uma interrupção e deixam evidente o objetivo da venda, no Inbound se busca a conexão através de estratégias mais sutis, que agreguem valor à vida do cliente. 

Quando consideramos o contexto da retenção de clientes na advocacia, o Inbound Marketing consiste em uma estratégia de baixo custo e que pode ser realizada de forma simples por você e sua equipe através da produção de conteúdo. 

Uma forma de investir no relacionamento com os seus clientes é através do envio de uma newsletter mensal ou quinzenal. 

Quando você conhece a sua base de clientes, torna-se mais fácil realizar a curadoria de conteúdos que sejam relevantes para eles ou para os seus negócios. 

Você pode, por exemplo, encaminhar os artigos que foram publicados no seu blog ou mesmo notícias interessantes sobre o mundo jurídico e que reflitam nos seus processos que estão em andamento.

O importante é mostrar que você está presente e disposto a nutrir o relacionamento com aquele que é essencial para o sucesso do seu negócio. 

Não perca também importantes dicas sobre e-mail marketing aqui: 

E-mail marketing para advogados: utilizando esse recurso para prospecção de clientes

2) Fique de olho no NPS

Desenvolvido em 2003 pela Bain and Company, NPS ou Net Promoter Score consiste na métrica que indica qual é a probabilidade do seu cliente indicar os seus serviços ou produtos para um amigo. 

O NPS é utilizado em programas de experiência do cliente e mede a lealdade do cliente com um negócio.

Para medi-la, basta fazer uma única pergunta aos seus clientes: 

Em uma escala de 0 a 10, o quanto você recomendaria nosso escritório para um amigo?

  • Promotores: respondem 10 ou 9
  • Neutros: respondem 8 ou 7
  • Detratores: respondem 6 a 0

O cálculo de NPS é feito da seguinte forma: % clientes promotores – % clientes detratores.

  • Zona de excelência: entre 75% e 100%
  • Zona de qualidade: entre 50% e 74%
  • Zona de aperfeiçoamento: entre 0 e 49%
  • Zona crítica: entre -100% e -1%

O objetivo do NPS é justamente mapear como está a percepção dos seus serviços jurídicos, sendo importante não apenas coletar esses dados como realizar melhorias a partir deles. 

Você costuma aplicar pesquisas como essa no seu escritório? 

Entenda quais motivos ainda distanciam o seu NPS da nota 10, demonstre que a experiência do cliente é importante para você e sua equipe e sempre tenha em mente que o relacionamento com o cliente é, hoje, um dos principais recursos para se diferenciar dos seus concorrentes. 

3) Associe Transformação Digital ao seu negócio  

Quanto o seu escritório realmente investe em transformação digital? 

Hoje, mais do que nunca, os seus clientes precisam enxergar no valor dos serviços jurídicos prestados por você e sua equipe. 

Não é novidade que Inovação e Direito são temas indissociáveis e cada vez mais escritórios contam com softwares jurídicos que somam com performance e resultados que possam ser visíveis e compartilháveis.  

Foi-se o tempo das planilhas Excel com os andamentos processuais e sensação crescente de insegurança jurídica. 

Seus clientes querem ver dados que sejam de fácil entendimento, com apresentação de gráficos e estatísticas obtidas com uso de tecnologias como Inteligência Artificial e Machine Learning.  

Nesse ponto, o uso de ferramentas que coloquem o cliente no centro, fazendo uso de técnicas como o visual law, contribuem para que o seu cliente consiga compreender a mensagem que você está tentando passar.

O uso de jurimetria, por exemplo, é a aposta de escritórios e departamentos jurídicos que buscam contínuo investimento em inovação

Além de garantir uma equipe mais produtiva, que com poucos cliques consegue visualizar as chances de êxito em determinada demanda, liberando-a de gastar horas em buscas de sites de jurisprudência e tribunais, esse investimento contribui para a retenção de clientes na advocacia.

Isso porque, com o uso de estatísticas aplicadas ao Direito e do suporte oferecido pela Inteligência Artificial, seus clientes passam a ter ainda mais confiança na sua equipe jurídica, uma vez que se sentem mais seguros ao contarem com a expertise de profissionais somada à inteligência dos dados

Quer conhecer mais sobre como a Jurimetria pode alavancar o crescimento do seu escritório? Acesse e-book gratuito sobre o tema clicando abaixo:

e-book jurimetria e direito

Conheça as principais tendências de inovação para advogados para os próximos anos:

Inovação para advogados: tendências para ficar de olho em 2022

Produtividade na advocacia: 4 dicas estratégicas (e urgentes) para 2022

———

A missão da Turivius é transformar a inovação e tecnologia em valor agregado aos seu serviços jurídicos, contribuindo para a alta performance em escritórios de advocacia e departamentos tributários de empresas de grande porte. 

Conheça a Turivius!